Every move you make

Stewart Copeland, Sting e Andy Summers do The Police usam a Vélib antes de receberem a ordem de "Cavaleiros de Artes e Letras" do Ministério da Cultura francês, em Paris, em 2007. (Photo por Julien Hekimian /Getty Images)

Anúncios

Cultura do automóvel

O Caderno G da Gazeta do Povo (de Curitiba) de ontem publicou uma reportagem bem completa e interessante sobre o que o automóvel representa no imaginário brasileiro e como este reverbera na realidade do transporte nas cidades – e vice-versa. Vale a pena ler.

Vencendo a preguiça

Do blog Copenhagen Cycle Chic

Só para lembrar que, quando reclamamos do calor excessivo, ou da chuva, ou do inverno, na hora de pegar a bike e ver a vida lá fora, tem gente que não se faz de rogado em ir de bicicleta para qualquer lugar que seja, chova, faça sol, ou neve! 

(Mesmo porque transporte e bike, em países como a Dinamarca, ou a Holanda, ou a França, ou em cidades americanas como Portland e mesmo a São Francisco cheia de ladeiras, não são coisas dissociadas.)

Pequenos reparos…

Depois de um completo abandono de quase um ano (não o mesmo tempo para a Violeta, a senhora minha bicicleta, que andou encostada depois de umas crises – minhas – de labirintite), Bike Drops volta tímido, assim meio envergonhadinho pela ausência. Espero que meus 2 1/2 leitores fiquem contentes com a volta, tanto quanto eu. 🙂

Hoje levei a Violeta para um passeio como há alguns meses não ocorria. Só eu e ela, ela e eu. Não antes de passar na fiel bicicletaria para reparar um pneu furado (fui ao Maraschin, link ao lado, serviço honesto e rápido). Eles passaram a trabalhar também com a marca americana Raleigh (a Bike Sul também, se não me engano), que tem umas MTBs lindas e sólidas e algumas cruisers californianas também.

Chamaram a atenção duas bikes encostadas, uma speed antiga da Monark e também uma Monareta lindinha, verde, parecida com essa do modelo 3D (obrigada ao Gustavo Bernardi, de quem “emprestei” a imagem). Perguntei se estava à venda, mas não: é que um dos rapazes da loja curte bikes antigas e vai sempre trabalhar com ela.

Achei um charme. Não é só o mercado de bicicletas que está sendo novamente aquecido (ainda mais com medidas como a isenção do IPI, mais que bem vindas), mas o pessoal está tirando lindos modelos do baú: as que eu acho mais lindas são as Caloi 10, elegantíssimas. Eu cresci com a minha Berlineta, mas a Monareta, admitamos, sempre foi bem mais charmosa. 😉