Posicionamento exemplar

O cartaz acima está no site da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA). Achei excelente o tema e a abordagem. Enquanto entidade de classe, o posicionamento da Anfavea é exemplar. Por que, no entanto, a postura individual de cada fabricante é, por meio da publicidade massiva, estimular a velocidade, em comerciais que festejam a agressividade, a ascensão social por meio de um carro de luxo, ou que simplesmente mentem a respeito de impacto ambiental ou ruas desimpedidas para o trânsito? Os automóveis – carros de passeio, não de corrida – vendidos no país têm a capacidade de atingir velocidades bem maiores que os limites de qualquer estrada nacional. Os próprios nomes dos carros incitam a essa infração.

Afinal, quem vai comprar um “Veloster” da Hyundai, não vai querer rodar a reles 40km/h por hora…

Está na hora de a Anfavea cobrar essa responsabilidade de seus associados.

Leia mais sobre a manipulação publicitária sobre o uso de automóveis.

5 Respostas

  1. Minha teoria é de que alguém lá dentro, bem intencionado, conseguiu fazer esse cartaz emergir. Pena que, considerando o tom geral da propaganda, que é bem o contrário do que o cartaz mostra, dá pra supor que esse cartaz é uma exceção, um evento isolado.

    Aliás, o cartaz se aplica ao uso do veículo. O objetivo da propaganda é criar a vontade de TER o carro, e essa vontade é sistematicamente embasada em impulsos egóicos e fantasias de velocidade, liberdade, potência, etc.

    Agora, convenhamos, uma vez tendo adquirido um veículo a partir desse desejo e dessa promessa, fica difícil conciliá-los com o mandamento super-egóico, extrínseco, de “andar na linha”. Se beber, então…

  2. Pois é. O que um cartaz bem intencionado consegue contra uma torrente intestinal de publicidade delirante?

  3. Até hoje não consegui alguém que respondesse convincentemente à pergunta: “Se a velocidade máxima permitida pela lei é de, digamos, 120km/h, por que é que autorizam as montadoras a fazerem carros que atingem velocidades mais altas?”

    Meio esquizofrênico esse mundo, não?

    • . . A velocidade máxima permitida _em vias públicas_ pode ser de 120km/h. Em locais fechados e pistas particulares o limite é o seu bom senso.
      . . A regra diz que você só pode andar a 120 nas ruas comuns, mas fora delas a decisão é sua. Você pode ir a um autódromo, acelerar dentro do seu condomínio (desde que a convenção permita) ou em qualquer outra área que não seja “pública” sem problemas.

  4. […] possam dizer que é do Arnaldo Jabor ou do Luis Fernando Verissimo. Lembrei dela depois de ler o post no BikeDrops a respeito da campanha da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: