Posicionamento exemplar

O cartaz acima está no site da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA). Achei excelente o tema e a abordagem. Enquanto entidade de classe, o posicionamento da Anfavea é exemplar. Por que, no entanto, a postura individual de cada fabricante é, por meio da publicidade massiva, estimular a velocidade, em comerciais que festejam a agressividade, a ascensão social por meio de um carro de luxo, ou que simplesmente mentem a respeito de impacto ambiental ou ruas desimpedidas para o trânsito? Os automóveis – carros de passeio, não de corrida – vendidos no país têm a capacidade de atingir velocidades bem maiores que os limites de qualquer estrada nacional. Os próprios nomes dos carros incitam a essa infração.

Afinal, quem vai comprar um “Veloster” da Hyundai, não vai querer rodar a reles 40km/h por hora…

Está na hora de a Anfavea cobrar essa responsabilidade de seus associados.

Leia mais sobre a manipulação publicitária sobre o uso de automóveis.

A bela e a bela

Alinne malemolente e a bici pedalante. Pra quem tá preso no trânsito, “the solution to a dilemma”.

Melhores bicis para o ciclismo urbano

Traduzido livremente do site Re-Nest:

O modelo da Donkelope, com espaço para o melhor amigo. 🙂

O ciclismo urbano já não é uma atividade isolada, praticada por uns poucos cicloativistas. Em várias cidades do mundo e, inclusive, do Brasil, pedalar nas cidades é um grande movimento que está transformando a maneira como as pessoas vivem e locomovem no espaço urbano.  De olho nessa tendência, a ONG Oregon Manifest (sediada em Portland, a cidade mais “bike-friendly” dos Estados Unidos) lançou um projeto para acelerar esse processo e lançou o “The Constructor’s Design Challenge“, para estimular fabricantes da indústria ciclística a criar e construir os melhores projetos de bicicletas utilitárias, voltadas para o ciclismo urbano. A competição incluiu 34 construtores de bicicletas profissionais de dez estados. Confira os construtores e os modelos desenvolvidos aqui.

Calorzinho bem vindo!

Menos edredons na cama, sem meias nos pés, janelas quase sempre abertas. Estamos a dois dias da primavera, estamos a quase três meses do verão. Abrindo os corações também, vamos pedalar e sentir o vento na cara sem tanta proteção. 🙂

Quer andar de bicicleta? Pergunte-me como!

Isso aí em cima é uma bicicleta. Meio de transporte de custo baixo, praticamente portátil e vendida em lojas especializadas, de departamento ou até hipermercados. Sua utilização como meio de transporte não demanda o pagamento de impostos anuais, a contratação de seguro de veículo, o aluguel mensal de uma garagem, nem a utilização de combustível, podendo ser acionada com um movimento regular de pernas. Já andou de bicicleta? Quer saber quando, por onde, como e por quê utilizá-la? PERGUNTE-ME COMO!

Compareça na Massa Crítica de Porto Alegre, que acontece nessa sexta-feira, 28/01, saindo às 18h45 do Largo da Epatur. Traga sua bicicleta.

Minhas bici-férias

Com mais de 20km de ciclovias, Santos e outras cidades do litoral paulista, beneficiadas por um terreno plano e a brisa do mar, estão apostando no uso da bicicleta como provedora de qualidade de vida e qualidade na mobilidade. A população aderiu: diariamente utiliza não só a malha cicloviária mas as vias públicas que lhes são de direito para ir trabalhar, passear, fazer compras, ir e vir, a ponto de causarem, em alguns pontos e horários, um engarrafamento de bicicletas (a considerar alargamento das vias destinadas às magrelas, né não?).

Santos também é minha cidade Natal, embora confesse que só fui usar a bici como transporte bem depois, em Bauru e em Porto Alegre. Esses são alguns registros que fiz das ciclovias e dos bicicletários abarrotados de beach-bikes (de baixo custo, super populares por lá), que estão no lugar certo: ocupando vagas outrora ocupadas por carros. Veja quantas bicis cabem onde caberia só um carro. E repense seus conceitos.

Feliz 2011

Que 2011 marque o início de uma nova movimentação, a começar pelo movimento das pedaladas.

Vamos juntar 500 bicicleteiros para o Dia Mundial Sem Carro em setembro? Já somos 120 e contando!