Transporte com design

Inspirada no post do meu “eco-site” favorito, o Re-Nest, resolvi listar algumas bikes bonitas com uso essencialmente urbano, disponíveis em lojas de Porto Alegre e, na impossibilidade de achar por aqui, na internet também. A maioria é bem cara (com exceção da Fischer), mas estamos na era da customização, que diga a Violeta, uma MTB que virou city-bike num passe de mágica. O importante é pedalar. 😉

1. Trek Navigator (R$ 1.999, na Bike Tech)

2. Caloi Easy Rider (R$ 1.999 na Bike Tech)

Fischer Princess (R$ 339 na Bike Sul)

 

Dahon Briza D3 (R$ 2.499 no Submarino)

Anúncios

Publicidade para quê?

Ocorreu-me nestes dias: “por que eu não vejo comerciais de TV de fabricantes de bicicleta?”. A única coisa que eu vejo são materiais de ponto-de-venda nas bicicletarias, e nada mais. Se o livre-mercado prega o uso da publicidade, porque ela não acontece para os fabricantes de bicicletas? Por que não há o interesse? Por que  a fábrica de desejos do capitalismo vale mais para o carro que para a bicicleta?

Mas eu posso estar errada. Vai ver a inexistência de publicidade de massa exclusiva para as bicicletas (ou seja, tem bicicletas em comerciais que pregam a “sustentabilidade” de empresas que não oferecem nem bicicletários a seus clientes) é apenas regional. Mas eu não sei dizer.

O Brasil não esqueceu da Caloi

A Edição de hoje da Gazeta Mercantil traz na capa o empresário Eduardo Musa, atual presidente da nossa tradicional Caloi, que projeta para até o fim de 2008 um crescimento de 15% para o segmento de bicicletas, que representa 70% do negócio da Caloi (que produz também produtos para fitness).

A matéria tem dados interessantes sobre o mercado de bicicletas no Brasil: 

Em 2007, o país fabricou cerca de 5,4 milhões de bicicletas, volume 8% superior a 2006. O setor tem uma expectativa de 5% de crescimento para 2008, chegando a 5,6 milhões de unidades produzidas. Dessa produção, a maior parte é destinada ao consumo interno.

A frota brasileira é de 65 milhões de bicicletas, concentradas principalmente na região Sudeste (44%), seguidas pelo Nordeste (26%), Sul (14%), Centro-Oeste (8%) e Norte (8%).

No mundo, a produção anual é de mais de 120 milhões de unidades, liderada pela China. A India vem em segundo lugar e o Brasil vem em terceiro.

Em 2005, a China produziu 80 milhões de bicicletas e a India, 12 milhões.

Quem está acostumado à vida motorizada nas grandes cidades, não se dá conta de que, nas pequenas, o transporte é feito nas magrelinhas. O trabalho no campo, a ida para a escola e outras atividades cotidianas são ligadas de um ponto a outro pelo pedal. Esse pessoal tem MUITO a nos ensinar. E vida longa à “minha Caloi”.