Cultura do automóvel

O Caderno G da Gazeta do Povo (de Curitiba) de ontem publicou uma reportagem bem completa e interessante sobre o que o automóvel representa no imaginário brasileiro e como este reverbera na realidade do transporte nas cidades – e vice-versa. Vale a pena ler.

Bike em família

Como domingo é dia de sol e amenidades no – ainda – calorento outono de Porto Alegre (que está comemorando seu aniversário e está trazendo atrações como Vitor Ramil, Ana Cañas e Nando Reis nesse fim de semana), nada como mostrar a charmosa família Jolie-Pitt na nossa atividade favorita, que é andar de bicicleta na cidade.

Crédito: LondonCycleChic

Crédito: LondonCycleChic

 Para não ficar só na página de futilidades, o Pedaleiro recomenda, no seu blog, a leitura da matéria que saiu na Gazeta do Povo de hoje, sobre os “Os desafios de quem opta pela bicicleta” em Curitiba.

Resumo da semana!

  • Vejam bem, não é porque faz dias que eu posto só imagenzinhas fofas (ainda que Hugo Chavez e Obama não sejam propriamente apetitosos), que eu estou de todo afastada do universo urbano-ciclístico e etc. É gripe, é pepino pra resolver, de modo que eu sinto falta de atualizar propriamente este blog.
  • Inclusive eu até convenci um colega jornalista a adotar a boa e velha (velha mesmo, pra evitar roubos) bicicleta para se deslocar para o trabalho. Nem o fato de que a redação dele fica em um morro conseguiu desencorajar o rapaz. E eu fico feliz. Um amigo em Curitiba também se animou a pedalar. É sinal que as pessoas não estão insensíveis ao seu redor. Curitiba, de onde eu me mudei faz mais de três anos, está com um trânsito cada vez mais caótico, acabando de vez com aquela imagem de qualidade de vida e cara de cidade do interior.
  • E não é porque eu não apareço, também, que as coisas deixam de acontecer. Em Porto Alegre, no último domingo lindíssimo de sol, teve passeio ciclístico em favor da preservação ambiental do morro do Osso, encabeçado pela Associação Ciclística da Zona Sul, sempre super atuante. Aliás, a ACZS poderia encabeçar a realização da Bicicletada mensal na capital gaúcha, já que eu nunca mais ouvi falar do evento em questão. Não lhes falta capacidade de mobilização.
  • Por último, a Palavra do Leitor de hoje, do Jornal do Comércio, foi deveras interessante: contestava o fato de o Museu Iberê Camargo, já citada neste blog, cujo logotipo é uma bicicleta desenhada pelo pintor, por incrível que pareça, não ter um bicicletário nem muito menos permitir que se prenda a bicicleta no seu amplo estacionamento. Vai entender…