Primavera em Paris

Foto que surrupiei do blog da Ana Clara Garmendia, indicado pela Mariela.

foto: Ana Clara Garmendia

Vélib é cycle-chic até no design das bicicletas. 🙂

Anúncios

Local e global

 Do Correio do Povo de hoje (já que não tem link direto para a matéria, transcrevo aqui):

 Plano cicloviário se integra a metrô

As alterações no transporte com a aplicação do Plano Diretor Cicloviário Integrado, da prefeitura de Porto Alegre, foram apresentadas ontem aos funcionários da Trensurb. O encontro, no auditório da empresa, serviu para explicar como será a integração entre o transporte cicloviário e o metrô. Um dos pontos será na Sertório. O eixo irá ligar a Estação Farrapos com a avenida Francisco Silveira Bittencourt. O arquiteto da Empresa Pública de Transporte e Circulação Régulo Ferrari ressaltou as melhorias do novo sistema. Avaliou que não basta implantar o modelo, é necessário criar as condições de infra-estrutura e sinalização. O gerente de Mobilidade Urbana da Trensurb, Sidemar da Silva, defendeu a união de ações para melhorar o transporte em Porto Alegre. Ele ressaltou que a ciclovia será alternativa para o deslocamento. ‘A União estimula projetos que criam formas de transporte não motorizado.’
Ferrari, coordenador do grupo que elaborou o projeto, lembrou que o plano irá alterar a paisagem de Porto Alegre. ‘A idéia é criar uma rede permanente para as pessoas irem ao trabalho ou à escola de bicicleta e não usar apenas para lazer.’ A prefeitura deve investir R$ 2 milhões em 2009, no início da aplicação do projeto, que é debatido na Câmara.

E, abordando algumas das tendências para o uso da bicicleta fora do Brasil, a colunista Lurdete Ertel, da Zero Hora, aponta como uma new vogue in New York o uso das bicicletas elétricas como alternativa à alta dos combustíveis que alimentam seus odiosos utilitários esportivos (que usamos cada vez mais aqui – por que só assimilamos o que é ruim?). Com bateria recarregável e autonomia de até 150 quilômetros, a magrela elétrica – hmmm – está virando moda também na terra da Vélib, Paris, onde foram vendidas 10 mil unidades no ano passado. O importante é não poluir, mas eu ainda prefiro o uso da energia humana.